Lenine – Labiata

[87,50]

Logo de primeira vou dizendo qual é o único defeito de Labaita para mim: as músicas são curtas demais, assim como todo o disco que fecha em menos de 45 minutos. Vejam bem, Lenine é um artista que pode fazer um trabalho de uma hora e meia, o mundo pode estar no caos total e você não notará enquanto estiver ouvindo o cara cantar.

Ouvindo Labiata, ainda tenta-se entender o rapaz. E é nessa busca que se descobre que ele não pode ser classificado aquém do ponto máximo de MPB. A música deste homem salpica pela cultura de todo o país. Quando não é no sotaque, é na maneira das notas ao ouvido, nos sons atmosféricos que se ouve aqui e ali…

Lenine fez mais um brilhante disco. A partir de mais algumas audições, talvez me atreva prematuramente a dizer que é o melhor álbum de sua carreira.  “Martelo Bigorna” potente, “A Mancha” é a importante mensagem ecológica atual com código binário de Lenine, “Ciranda Praieira” logo nos primeiros segundos mostra porque é a jóia do disco e “Continuação” é amor, a morte, a continuação… A continuação…

Anúncios

Deixe um comentário

Arquivado em Crítica, Música, Observar

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s