Arquivo do mês: setembro 2008

Há Dois Mil Anos

Numa tarde conversando com minha amiga Marisa em sua antiga locadora, chegamos nos assuntos da Doutrina Espírita e ela, em pedaço de papel resumido, me explicou a timeline de Kardec. Sendo assim, a pessoa que primeiro me mostrou o druidismo como um dos embriões da terceira revelação. Algo que já tinha dentro de mim desde sempre e nunca soube o porquê. Entendi naquele momento.

Nessa papo sempre maravilhoso, ela mencionou o livro Há Dois Mil Anos e a história de expiação de Públio Lentulus. Emmanuel, apreendeu naquela vida em outras, Nestório e etc, o poder da eternidade. Com isso, a missão que cada ser humano tem em suas encarnações de fazer do mundo um lugar melhor. Várias pegadas formam um grande caminho…

O lindíssimo romance de Emmanuel pode ser resumido em uma palavra: Épico.

Deixe um comentário

Arquivado em Crítica, Livro, Observar

Jehanne d’Arc

Tu dizes que és meu juíz. Não sei se tu és! Mas lhe digo que tens de ter cuidado em não me julgar de forma errada, porque botarás a ti mesmo em grande perigo. Te aviso, que se Deus te punir por isto, terei feito meu dever em ter te avisado!

Jehanne d’Arc

Deixe um comentário

Arquivado em Observar

Froud – Action Figure

 

Deixe um comentário

Arquivado em Observar

Lenine – Labiata

[87,50]

Logo de primeira vou dizendo qual é o único defeito de Labaita para mim: as músicas são curtas demais, assim como todo o disco que fecha em menos de 45 minutos. Vejam bem, Lenine é um artista que pode fazer um trabalho de uma hora e meia, o mundo pode estar no caos total e você não notará enquanto estiver ouvindo o cara cantar.

Ouvindo Labiata, ainda tenta-se entender o rapaz. E é nessa busca que se descobre que ele não pode ser classificado aquém do ponto máximo de MPB. A música deste homem salpica pela cultura de todo o país. Quando não é no sotaque, é na maneira das notas ao ouvido, nos sons atmosféricos que se ouve aqui e ali…

Lenine fez mais um brilhante disco. A partir de mais algumas audições, talvez me atreva prematuramente a dizer que é o melhor álbum de sua carreira.  “Martelo Bigorna” potente, “A Mancha” é a importante mensagem ecológica atual com código binário de Lenine, “Ciranda Praieira” logo nos primeiros segundos mostra porque é a jóia do disco e “Continuação” é amor, a morte, a continuação… A continuação…

Deixe um comentário

Arquivado em Crítica, Música, Observar

Comemoração!

Equilíbrio…

Feliz Equinócio e Primavera!

A etapa do renascimento anual do mundo…

Deixe um comentário

Arquivado em Observar

La Passion de Jeanne d’Arc (1928)

Deixe um comentário

Arquivado em Cinema, Observar

A Lenda De Billie Jean (Matthew Robbins, 1985)

[75,oo]

Quando se tem dezessete anos, as pessoas pensam que podem fazer o que quiser com você. Billie Jean está para provar que eles estão errados.

Tão bobo quanto o poster, o filme é produto dos anos 1980. Contudo, transmitia algo no final. Quem dera os filmes de adolesentes hoje em dia fossem iguais a Billie Jean.

Deixe um comentário

Arquivado em Cinema, Crítica, Criticar, Observar

Allan Kardec: O Druida Reencarnado

[95,00]

Há alguns anos pesquisando sobre a Doutrina Espírita, me deparei com esse livro e desde então, sempre o namorava tanto nas livrarias físicas quanto nas online. Mês passado finalmente comprei e semana passada terminei o livro. Com um bibliografia histórica e espírita imensa, é uma obra essêncial. Um trabalho maravilhoso de Eduardo Carvalho Monteiro.

Deixe um comentário

Arquivado em Crítica, Livro, Observar

Noé de Aronofsky

Darren Aronofsky, um dos maiores diretores atualidade, já tem o seu próximo projeto depois de The Fighter (a produção começa em 2009): Noé. O filme vai aprofundar o personagem histórico, a possível primeira idéia de preservação do ambiente e mostrar de forma épica como foi um dos “fins do mundo” da humanidade.

Deixe um comentário

Arquivado em Cinema, Observar

Primeiro Circuito Integrado

O primeiro circuito integrado construído por Jack Kilby há a exatos 50 anos atrás. O pulo mais rápido dos, mais ou menos, 200 mil anos do Homo sapiens. Esse fast foward é curioso demais para se achar uma evolução gradativa normal, certo?

Deixe um comentário

Arquivado em Observar

Nine Inch Nails

O Trent Reznor sempre foi criativo. E nos shows nunca foi diferente. A última, é um telão que reage a música (grave, agudo e etc). Só que no show do dia 2 de setembro, a tecnologia parece ter falhado. Windows, Reznor? Apple, senhor Reznor. Apple…

Deixe um comentário

Arquivado em Observar

Tim Festival

NO RIO DE JANEIRO – MARINA DA GLÓRIA

23 de Outubro – quinta-feira

Noite de Gala
Sonny Rollins

Horário: 20h30
Preço: R$ 250,00 – Filas A a O; R$ 120,00 – Filas P a Y

Noite de Gala
Rosa Passos
Horário: 22h
Preço: R$ 80,00

24 de outubro – sexta-feira

Sophisticated Ladies
Esperanza Spalding
Stacey Kent
Carla Bley

Horário: 20h30
Preço: R$ 140,00

Brilhando no Escuro
Kanye West

Horário: 21h30
Preço: R$ 250,00

Ponte Brooklyn
The National
MGMT

Horário: 22h30
Preço: R$ 140,00

Tim no TIM
Tim Maia Racional com Instituto
Horário: 1h
Preço: R$ 40,00

25 de outubro – sábado
The Cats
Tomasz Stanko Quintet
Enrico Pieranunzi Trio
The Bill Frisell Trio

Horário: 20h30
Preço: R$ 140,00

Novas Raves
Neon Neon
The Gossip
Klaxons

Horário: 21h30
Preço: R$ 140,00

Bossa Mod
Marcelo Camelo
Paul Weller

Horário: 22h30
Preço: R$ 140,00

TIM Festa

Junior Boys / Dan Deacon
Gogol Bordello / Música Magneta
Switch / DJ Yoda
Sany Pitbull / Leandro HBL Vídeo Artista / Database

Horário: 1h
Preço: R$ 80,00

Vocês eu nao sei. Eu passo

Terra

Deixe um comentário

Arquivado em Observar

Dependentes do Instante

O mundo está cheio de dependentes do instante.”

Deixe um comentário

Arquivado em Observar

Supercordas – Seres Verdes ao Redor

[70,00]

Segundo disco da banda. Não é original, mas pelo menos é diferente. O que falta para a música brasileira atual.

http://www.myspace.com/supercordas

Deixe um comentário

Arquivado em Crítica, Música, Observar

O Sobrevivente (Werner Herzog, 2006)

[80,00]

Não é um filme que Werner Herzog está acostumado a fazer. A direção dessa vez, somente bem correta, brilha em conjunto com a atuação de Bale e Steve Zahn. A mensagem é a mesma: guerra não se faz. Muitas pessoas reclamam de mais e mais filmes sobre o assunto, mas ainda é necessário.

Em relação ao Bale, se as pessoas quiserem entender de uma vez por todas porque ele é um dos melhores atores de nosso tempo, prestem bastante atenção nessa produção. Diferente do resto, ele se entrega 99,9% aos seus papéis.

Deixe um comentário

Arquivado em Cinema, Crítica, Observar

Clarice Lispector

Gosto muito de um modo carinhoso do inacabado, do malfeito, daquilo que desajeitadamente tenta um pequeno vôo e cai sem graça no chão.

Clarice Lispector

Deixe um comentário

Arquivado em Observar

The Mindscape of Alan Moore

Documentário sobre Alan Moore. Sim, é ele: o cara que não está nem aí para a fama, ignora todas as adaptações de suas graphic novels e parece viver em outra dimensão. Criador de duas das maiores histórias em quadrinhos já idealizadas: V de Vingança e Watchmen.

The Mindscape of Alan Moore na Amazon

Deixe um comentário

Arquivado em Cinema, Observar

Bolsão

Simon Dale é um Hobbit. Construiu uma casa junto com seu pai em que a idéia era poder viver o mais próximo, e certamente fazer parte, da natureza como um todo. É uma casa 100% ética em relação ao máximo de respeito com a natureza e tem praticamente tudo que é necessário para se viver sem desconforto algum.

Veja todo o proceso

Deixe um comentário

Arquivado em Observar

Take Flight

Take Flight é um documentário-making off do primeiro videoclipe que Gary Oldman dirigiu. O clipe da banda Chutzpah foi todo gravado com celulares Nokia. O documentário mostra justamente o ponto de vista criativo da visão de Oldman. A produção não tem quase custo e é basicamente o “faça você mesmo”.

 

Deixe um comentário

Arquivado em Cinema, Observar

NCC – Seven Steps Of Nervousness

[95,00]

Conheci o NCC no final e 2001 e já foi tarde demais. A gravadora Gashed! tinha acabado e o banda se desfeito. E até hoje rezo para que alguma outra gravadora relance o CD. Seven Steps Of Nervousness, único álbum, serve para lembrar ao pessoal que liga “cyber music” somento ao ritmo quebrado. Na verdade, o coneito, está longe disto. O trabalho do NCC não se prende a nada e inclui todos as variedades que têm a ver com o tema. É bem verdade que é um disco-escola para uma nova gereação perdida.

Deixe um comentário

Arquivado em Crítica, Música, Observar