Control (Anton Corbijn, 2007)

Capa de “An Ideal for Living” – 1978.

[80,00]

O filme conta a história de Ian Curtis e de sua banda: Joy Division. O que o Kraftwerk fez pela música eletrônica, o JD fez pelo pós-punk. É quase impossível medir o peso desses dois nomes para a música.

O filme é o primeiro dirigido por Anton Corbijn que antes só estava no lado musical. Câmera nos enquadramentos certos, takes corretos, fotografia ótima… Mas poderia ser mais atmosférico.

O roteiro, muito bem adaptado, foi fiél aos acontecimentos. Os atores estão todos de parabéns. Sam Riley, James Anthony Pearson, Joe Anderson, Harry Treadaway como a banda estão espetaculares. O fim do filme é trágico e questionador.

Lembrem-se deles ao ouvir o som de hoje em dia. Lembrem-se de Ian Curtis.

Anúncios

Deixe um comentário

Arquivado em Cinema, Crítica, Observar

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s